sábado, 26 de fevereiro de 2011

A Tireóide e Suas Doenças

A Tireóide e Suas Doenças 


Freqüentemente os pacientes vêm com queixas e dúvidas relativa à tireóide. Há muita especulação sobre o que as doenças da tireóide podem causar. Este artigo deverá esclarecer algumas dúvidas e diminuir a ansiedade dos leitores que sofrem com tireoideopatias.


1. Afinal, o que é a tireóide?

A tireóide é uma glândula que fica logo abaixo da cartilagem cricóide (o popular gogó), e acima da fúrcula esternal (aquele osso que separa o pescoço do tórax). Ela produz os hormônios tireoidianos, que são formados pelo iodo ligado a uma proteína específica. Esses hormônios são os responsáveis por "ativar" nosso organismo, fazendo com ele funcione de forma harmônica.



2. O que é hipotireoidismo?
É quando a tireóide diminui seu funcionamento, até parar de funcionar. O termo "hipo" significa "menos" em grego. Portanto, há uma queda de produção de hormônios tireoidianos na circulação. O hipotireoidismo pode ser causado por destruição auto-imune da tireóide - que é a causa mais freqüente - e, neste caso, se chama tireoidite de Hashimoto. Mas é claro que você pode ter hipotireoidismo por outras causas, como cirurgia para retirada da tireóide, uso de radiação no pescoço, ou uso de remédios que bloqueiam a formação dos hormônios tireoidianos (como por exemplo, a amiodarona e o lítio).



3. Ei, meu médico disse que tenho essa tal de Hashimoto. Porque eu tenho isso?
Hashimoto é o nome do médico japonês que descreveu a doença. Não sabemos exatamente porque desenvolvemos esta doença auto-imune. Uma doença auto-imune é quando o corpo produz substâncias de defesa contra o próprio organismo, destruindo os tecidos alvos. Sabemos que o excesso de iodo presente no sal da nossa dieta pode predispor esta situação. Especula-se que conservantes químicos presentes nos alimentos também possam contribuir para o aumento da incidência de hipotireoidismo na população. Incidência, aliás, que vem aumentando, assim como a de todas as doenças auto-imunes.



4. Quais são os sintomas de hipotireoidismo?
Os sintomas de hipotireoidismo são vários, porém eles são bem inespecíficos. Normalmente podemos apresentar um ou mais sintomas relacionados ao hipotireoidismo. E mesmo apresentado só um dos sintomas, vale a pena investigar a sua causa.
Sintomas de hipotireoidismo:
a. Cansaço, indisposição
b. Dificuldade de concentração, lentificação da memória,
c. Depressão
d. Pele seca, áspera
e. Queda de cabelo
f. Intolerância ao frio
g. Fraqueza muscular
h. Anemia
i. Constipação (dificuldade em evacuar)
j. Alteração menstrual, infertilidade
k. Em crianças - queda do rendimento escolar, queda da velocidade de crescimento, alteração comportamental,
l. Bócio (aumento do volume da tireóide)
m. Alteração do colesterol
Vale lembrar que podem existir outras causas para esses sintomas, que devem ser investigadas após exclusão do hipotireoidismo.


5. Todos dizem que o hipotireoidismo é aquele que engorda. É verdade?
Em um indivíduo com hipotireoidismo, as células do corpo funcionam de forma mais lenta. O corpo não queima gordura como deveria. Além disso, o indivíduo retém líquido. Por estes motivos, há ganho de peso que, no entanto, é reversível com a reposição do hormônio que está faltando.


6. Durante quanto tempo devo me tratar?
Na grande maioria vezes, a causa do hipotireoidismo é por destruição da glândula tireoidiana. Desta forma, você não tem um órgão que produza o hormônio essencial para que você tenha uma vida com qualidade e saudável. Seguindo este raciocínio, devemos repor este hormônio pelo resto da vida. No entanto, há casos de hipotireoidismo transitório, como 
por exemplo a tireoidite subaguda, que é causada por uma infecção viral na tireóide. Porém, são menos freqüentes e devem ser avaliados pelo seu endocrinologista.



7. Se eu tiver hipotireoidismo, posso engravidar?
O hipotireoidismo sem tratamento é uma das principais causas de infertilidade na mulher em idade fértil. No entanto, com o tratamento adequado, a gestação é possível. A mulher deve fazer o acompanhamento do hipotireoidismo com seu endocrinologista durante toda gestação, pois há necessidade de maiores doses de reposição de hormônio tireoidiano nesta fase.



8. Bom, e o que é o hipertireoidismo?
O hipertireoidismo é o oposto do hipotireoidismo: a glândula funciona mais do que deveria. A principal causa também é auto-imune, porém neste caso há estímulo para aumentar seu funcionamento, ao invés de diminuí-lo. É também chamado de Doença de Graves, e este nome assusta muito os pacientes por causa do "graves" no final. Mas, novamente, Graves é o nome do médico que descreveu a doença. Esta condição realmente é uma doença séria que, se não tratada, leva a risco de morte.
Os principais sintomas do hipertiroidismo são:
a. Aceleração do pensamento, ansiedade, insônia
b. Batedeira (taquicardia)
c. Mãos quentes e úmidas
d.Perda de peso na maioria das vezes

O hipotireoidismo sem tratamento é uma
das principais causas de infertilidade na mulher
em idade fértil. No entanto, com o tratamento
adequado, a gestação é possível.
e. Hiperdefecação (evacuar muito)
f. Hipermenorreia (menstruar muito a mais que o normal)
g. Pode haver olhos saltados

8. Eu tenho um nódulo na tireóide, mas não tomo remédio.
Os nódulos são locais de excesso de armazenamento de colóide, uma proteína que serve de base para a produção dos hormônios tireoidianos. Não sabemos exatamente porque os nódulos são formados; tanto o excesso quanto a falta de iodo pode contribuir para o seu aparecimento. Preocupamo-nos mais com aqueles que insistem em permanecer e aqueles que são maiores. A tireóide pode apresentar nódulos sem ocorrer alteração na produção hormonal. Outras vezes, pode haver relação entre o nódulo e o funcionamento da tireóide.


9. Meu nódulo é um câncer?
Existem algumas características ao ultrassom que fazem com que devamos investigar mais detalhadamente, ou seja, puncionando os nódulos suspeitos. Mas, a incidência de câncer de tireóide nos nódulos é menor do que 5 %.


10. Se for câncer de tireóide, como tratar?
Realizamos a retirada de toda tireóide e, se necessário, retiram-se também os gânglios do pescoço. Nos casos de tumores das células produtoras de hormônio tireoidiano, as quais captam iodo, o indivíduo ainda é submetido à uma carga de iodo radioativo para destruir qualquer resquício de célula tireoidiana.
Por outro lado, há o tumor de células C, chamado de Carcinoma Medular da tireóide. Este tumor não capta iodo, e, portanto não usamos o iodo radioativo para tratá-lo. Fazemos acompanhamento com exames de sangue e de imagens. Muitas vezes há necessidade de pesquisar toda a família, porque este tipo de câncer pode ser hereditário. Fazemos o diagnóstico genético da suscetibilidade familiar antes que qualquer indivíduo daquele grupo desenvolva doença. Operamos antes de a doença aparecer, sendo esta uma cirurgia curativa.
Dra. Bibiana Prada de Camargo Colenci
Mestre em Endocrinologia
Endocrinologia e Diabetes
CRM 93718