sábado, 8 de outubro de 2011

O que é o Colesterol e suas Frações?



O colesterol é um tipo de gordura presente naturalmente presente no nosso organismo. O colesterol serve para produção de bile, membranas celulares, de hormônios e no metabolismo de vitaminas, como a vitamina D. A maior parte do colesterol é produzida no fígado (70%), e o restante (30%) é proveniente da alimentação.
 No entanto, quando o colesterol está em excesso, ele pode provocar doenças como aterosclerose, que é deposição de gordura na parede das artérias provocando infarto e derrame. O depósito leva à formação de placas de gordura (chamados de ateromas), que diminui o diâmetro da artéria, e portanto diminui a passagem de sangue que passa pelo local. Com o tempo pode entupir completamente a artéria provocando complicações como infarto ou derrame.
Estamos acostumados a pensar que o colesterol elevado provoca apenas infarto e derrame, mas na verdade esta obstrução pode ocorrer em qualquer artéria de nosso corpo. Portanto, todos nossos órgãos sofrem com falta de sangue quando temos a aterosclerose, e podemos apresentar além do derrame e infarto, impotência sexual (sexo masculino), insuficiência renal e doença arterial periférica, que é obstrução das artérias das pernas e provoca dor e risco de amputação. Por fim, colesterol pode acumular no fígado, provocando uma situação conhecida como esteatose hepática e, se não controlada, pode evoluir para cirrose hepática.
O termo médico para doenças do colesterol e suas frações chama-se dislipidemia.

Quais os tipos de colesterol?
O colesterol total é a combinação dos níveis de colesterol bom (HDL) e o ruim (LDL) e dos triglicérides.
O LDL é conhecido como o colesterol ruim, pois ele se deposita nas artérias e junto com as plaquetas diminui o diâmetro das artérias e o fluxo de sangue para os órgãos. Assim o tecido na recebe nutriente e oxigênio e morre. Se ocorrer no coração, chamamos de infarto; se no cérebro, derrame. O LDL provém do fígado (70%) e dos alimentos (30%) ricos em gorduras, como as carnes, frituras, salgadinhos etc.
O HDL é o “colesterol bom”. Ele recolhe o colesterol das artérias e órgãos e leva ao fígado, onde este colesterol é reutilizado ou eliminado através da bile e fezes. Por isso, quanto mais alta sua taxa, melhor. Valores elevados de HDL são considerados protetores de infarto.
O Triglicéride (TG) são gorduras produzidas no fígado a partir de alimentos ricos em carboidratos (açúcares, arroz, massas, pães, etc.), bebidas alcóolicas e gorduras. São os mesmos alimentos que aumentam a taxa de glicemia (açúcar) no indivíduo com Diabetes Mellitus. Por isso, quando o Diabetes Mellitus está elevado , aumenta também a taxa de TG. Portanto, a mesma dieta para diminuir o açúcar do sangue, diminui o TG. Assim como o LDL, níveis elevados de TG levam a infarto, derrame e outras complicações decorrentes de obstrução das artérias. Valores muito altos de triglicérides podem provocar pancreatite, que por sua vez pode levar a um tipo de diabetes por destruição das células pancreáticas ou a morte.


Quais os valores saudáveis de colesterol?
Os valores de colesterol variam com a idade e com a condição de saúde. Caso o indivíduo apresente Diabetes Mellitus ou alguma doença arterial, os valores de colesterol LDL devem ser mais baixo do que o resto da população, visto que o risco de apresentar um infarto é mais elevado nestas pessoas. Então, quando for avaliar seu nível de colesterol, não adianta olhar o colesterol total, mas deve-se prestar atenção às suas frações (LDL, TG, HDL). A tabela abaixo resume os valores seguros de colesterol.

Qual a relação do colesterol, Diabetes Mellitus e hipertensão?
Estas três doenças fazem parte do que chamamos de Síndrome Metabólica. O corpo não metaboliza corretamente os açúcares e o colesterol, e temos resistência ao funcionamento da insulina, situação chamada de resistência insulínica. Geralmente apresentamos esta síndrome quando estamos acima do peso. Ela acelera o processo de aterosclerose e suas complicações. Por este motivo, devemos tratar as três situações conjuntamente e, se necessário, perder peso.
O diagnóstico de Síndrome Metabólica é fácil. Basta uma fita métrica. Deve-se aferir a circunferência da cintura. Mede-se passando a fita no meio termo entre a crista ilíaca (osso da bacia) e a última costela. Na frente, a fita deve passar sobre a região maior da barriga. Caso a circunferência abdominal for maior que 90 cm para homens ou 80 para mulheres, podemos inferir que está em risco de desenvolver síndrome metabólica, junto com outros dois fatores, já podemos fazer o diagnóstico.

O que devo fazer caso eu tenha dislipidemia?
O melhor tratamento é adotar um estilo de vida saudável, que inclui prática de atividade física, alimentação saudável, evitar tabagismo e uso de bebida alcoólica. Às vezes faz necessário o uso de medicamentos, que deve ser prescritos pelo endocrinologista.
Se você tiver dislipidemia:
EVITE
PREFIRA (com moderação)
·         Álcool 
·         Salgadinhos gordurosos e fast foods
·         Frituras
·         Maionese, creme de leite, manteiga, margarina queijos amarelos, banha.
·         Vísceras (fígado, coração, rins),
·         Frutos do mar
·         Bolachas recheadas, pão branco, brioches, croissants
·         Carnes gordurosas: porco, bacon, presunto, mortadela, salame, pele de frango
·         Doces
·         Leite integral
  • ü   Sucos naturais e sem açúcar
  • ü  Frutas
  • ü  Alimentos cozidos ou assados
  • ü  Temperos naturais e secos como orégano, salvia, limão, cheiro verde etc
  • ü  Carnes magras
  • ü  Peixes cozidos, assados e grelhados.
  • ü  Pães integrais, arroz integral, aveia, linhaça (com moderação)
  • ü  Verduras, azeite extra virgem (com moderação)
  • ü  Frutas, gelatinas
  • ü  Chocolate amargo (com moderação)
  • ü  Leite desnatado, ricota, cottage


Bom, então eu quero avaliar meu colesterol. Como devo proceder?
Para colher o exame de colesterol e frações você deve ficar de jejum por 12 horas, abster-se de bebida alcoólica e cigarro por 24 horas. Assim o resultado será mais confiável. 

texto: Dra Bibiana Colenci
Clínica de Diabetes e Saúde