domingo, 27 de fevereiro de 2011

insulina - dúvidas e mitos

Por Dra. Bibiana Prada de Camargo Colenci | Foto Malu Ornelas
1.O que é a insulina?
A insulina é um hormônio anabolizante, ou seja, ele nos ajuda a crescer e manter nossos órgãos saudáveis. Mais do que isso, a insulina ajuda a colocar o açúcar dentro da célula; e o açúcar será o combustível para gerar energia e manter a célula fazendo suas atividades habituais.


2.O que acontece se falta insulina?
Sintomas de Diabetes Descompesnsado
A falta de insulina acarretará em falta de açúcar nas células e acúmulo da mesma no sangue. A falta de açúcar na célula faz com que a célula queime outros combustíveis formando ácidos. O acúmulo de ácidos pode levar a desorientação e coma. Ocorre queima de vários elementos importantes e desta forma perde-se peso às custas de perda de músculos e órgãos vitais. Por outro lado, o excesso de açúcar no sangue acelera o processo de aterosclerose nas arterias. O corpo tenta livrar-se deste excesso, assim o indivíduo urina muito, perde  água e pode ficar desidratado, piorando o quadro de desorientação e acelerando a instalação do coma.


3.Se eu tomar insulina vou ficar dependente?
Não. Insulina não causa dependência. Ou você precisa de insulina, ou não precisa. Nos casos de Diabetes Mellitus infantil (tipo1), há falência da produção de insulina. Não há insulina circulante. Para se evitar o quadro descrito acima há necessidade de se repor uma substância que o corpo não fabrica. Neste caso, a insulina.
Algumas vezes o diabético em uso de comprimido necessita de insulina temporariamente, por exemplo, quando vamos passar por alguma cirurgia, apresentamos infecção grave ou na mulher que desenvolve o diabetes gestacional. Nestes casos, após a resolução do quadro, podemos voltar à terapia anterior.
Há outros casos onde o pâncreas parou de produzir a insulina, seja pelo tempo de
Diabetes, ou pelo tipo da doença. Nestes casos a reposição de insulina é vital. Há pessoas resistentes quanto ao uso de insulina e após a introdução voltam se sentindo melhor e se questionado porque não iniciaram este tratamento antes.
Por outro lado, diversos estudos recentes mostram que quanto mais precoce a introdução de insulina, melhor.


4.Mas, quando minha avó introduziu insulina há alguns anos atrás, ela piorou. Por quê?
Porque até a algum tempo os critérios para introdução de insulina eram outros. No momento da introdução, o indivíduo já apresentava diversas complicações irreversíveis causadas pelos longos anos de diabetes mal controlado. Desta forma, o beneficio do uso de insulina já não era tão grande. Hoje, o tratamento precoce com insulina possibilita preservar as funções do organismo e evitar complicações que podem trazer queda da qualidade de vida e morte.
Além disso, ao iniciarmos o tratamento antes de esgotar nossa reserva, preservamos nosso pâncreas para uma eventual necessidade (por exemplo, em momentos de infecção). Trabalhos recentes apontam que pessoas que introduziram insulina no início do tratamento do
Diabetes têm menor complicações do que as que não fizeram uso precoce.


5.Quais os benefícios da reposição de insulina?
Na dose certa prescrita por seu endocrinologista a insulina:
1. Melhora seu bem estar e disposição (através da melhora do controle glicêmico)
2. Melhora o controle glicêmico evitando futuras complicações
3. Preserva a insulina que seu corpo produz
4. Melhora o raciocínio
5. Ajuda a melhorar seu controle de colesterol e triglicérides
6. Ajuda a recuperar a massa óssea e muscular perdida durante o descontrole glicêmico


Então, não há motivo para descartar o tratamento de insulina como uma das melhores opções para o paciente diabético. E tenha em mente que a insulina poderá salvar sua vida, prevenir as complicações a longo prazo decorrentes do
Diabetes Mellitus, e trará, juntamente com o bom controle, uma ótima qualidade de vida.
Bibiana Prada de Camargo Colenci

Endocrinologia e Diabetes - CRM 93718