terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Diabetes e Gestação


  Diabetes - o quê você precisa saber 3

Saiba como... planejar a gravidez


O desejo de ser mãe deve ser bem pensado por todas as mulheres, mas no caso das diabéticas o planejamento é fundamental em função das mudanças que precisam ser feitas no tratamento do diabetes para não prejudicar o desenvolvimento do feto.

·         O que as futuras mães precisam saber para ter uma gravidez tranqüila e segura?
        A gravidez é um período em que a mulher deve cuidar do corpo. Pois o corpo da mulher funcionará como um reservatório, um ninho onde o nenê ira crescer e se desenvolver.  
         Pensando assim, a futura mamãe deve ser preparar com pelo menos 6 meses de antecendêcia, focando em ter uma glicemia bem controlada e a hemoglobina glicada de 6 a 6,5 pré-gestação.  
         Durante a gestação o controle  pode ser mais rigoroso pois os valores de glicemia devem ser mais baixos: por volta de 90 em jejum e 120, 2 horas após comer . Por este motivo, intensificamos o exame de pontinha de dedo.

·         Existe alguma alteração no tratamento, na dose de insulina ou do medicamento?
       Sim existe.
      Em DM1 ocorre intensificação do exame de HGT e os alvos acima são estabelecidos.
      Em DM2, suspendemos a medicação oral e passamos insulina para ter um controle mais rigoroso.

·         

       Qual acessório de aplicação de insulina é mais indicado para a grávida: seringa, caneta ou bomba de insulina? Por quê? A futura gestante terá que trocar de acessório?

    
 O importante é focar na meta. Ter Hba1c  6,0, glicemia de jejum de 90 e pós prandial 120. Isso pode ser alcançado com insulina, seja na forma de aplicação de seringa, canetas ou bomba.
No entanto, vale apena ressaltar que as canetas são mais confortáveis que a seringa. A utilização de bomba fica restrita para as diabéticas que sabem utilizar a contagem de carboidrato.

·         Qual deve ser a meta de hemoglobina glicada antes de engravidar? E durante a gravidez?
       A meta é ter  Hba1c entre 6 a 6,5 ANTES da gestação e durante por volta de 6,0 . Assim o ambiente uterino fica propicio para o crescimento saudável do bebê.

·         Quais os riscos para a mãe e para o bebê se o diabetes não estiver compensado?
      Este é um ponto muito importante. Se o ambiente uterino for ruim, ou seja, descontrole glicêmico, o nenê por ter atraso no crescimento, ou crescimento excessivo prejudicando o parto, mal-formação, ou  até mesmo morte fetal. Por este motivo a mamãe e o nenê devem ser acompanhando mensalmente com o ginecologista e com o endocrinologista.

·         No caso das mulheres que estão acima do peso, quais cuidados adicionais elas precisam ter?
          Uma dieta balanceada e saudável é imprescindível para qualquer pessoa, ainda mais numa grávida. Os alimentos são os nutrientes que o nenê usara para se desenvolver. Por isso devem ser bem escolhidos.
         A mulher que está acima do peso precisa seguir uma dieta rigorosa a fim de evitar maior ganho de peso e piora do controle do diabetes com risco maior de aparecimento das complicações, como por exemplo, criança grande para idade gestacional e óbito fetal.

·         Quais médicos devem acompanhar a gestante diabética?
          A mãe diabética deve ter acompanhamento mensal com o endocrinologista e o gineco-obstretra.

·         Como deve ser a rotina de consultas com os médicos? A freqüência deve ser maior do que a das gestantes que não têm diabetes?
      Durante a  gestação da mãe com diabetes, as consultas devem ser mais frequentes até o controle glicêmico. Ao atingir o controle, ela pode seguir como uma gestante habitual.

·         O que muda em relação à alimentação?
        A alimentação já deve ser saudável, desde sempre. 
       Já nos 6 meses antes da gestação, afim de melhorar  o controle glicêmico, a dieta deve ser mais saudável ainda . 
         Evitar alimentos com conservantes e industrializados.
         Mas analisando bem, isso deveria ser sempre e não só na gestação .
      Se a gravidez for planejada, aprender a contagem de carboidratos auxilia muito neste período. 
      Junto ao endócrino e à nutricionista, aprendemos o quê podemos comer e o quanto  de certo alimento, evitando aumento desnecessário de peso e aplicando a dose correta de insulina ultrarrapida.

·         Durante a gestação, quais os cuidados para não ter hipo ou hiperglicemia?
      
Em uma frase: PONTA-DE-DEDO.
    Como queremos um ambiente propício para o crescimento do nenê, teremos que evitar altos e baixos da glicemia.  Por isso o melhor é manter  um acompanhamento com o endócrino frequentemente e sempre fazer o controle com a ponta de dedo. 
     A contagem de carboidrato bem feita auxilia no bom controle glicêmico.
   
                                                                                                             
       

         Dra Bibiana Colenci